fbpx

QUEM SÃO OS INQUIETOS?

Inquieto: do latim inquiētus, é um adjetivo que se refere à tudo aquilo ou aquele que não está quieto. Ou seja, quando há um incômodo com a ausência de movimento ou não contentamento com a situação atual.

Em nossa forma de ver esse termo, o inquieto não se acomoda em sua zona de conforto e sente um incômodo que a maioria das pessoas no senso comum não sente. Não aceita uma vida mediana e medíocre e sempre busca uma forma de viver com originalidade e criatividade.

Muita energia se concentra na vida de um inquieto, por isso, é importante o direcionamento desta para algo construtivo, principalmente no que diz respeito ao aprendizado e entendimento de seus motivadores e interesses. A sociedade raramente incentiva os inquietos em seu despertar, afinal, a normatização é direcionada para que as pessoas vivam da forma esperada e mais confortável para o sistema, e com isso, deve haver a anulação de desejos e interesses considerados “diferentes” dos padrões já estabelecidos.

Um inquieto vai na contramão do sistema e com isso, precisa desconstruir e reconstruir uma série de conceitos e crenças existentes.

E na batalha entre a esperança e o medo, encontramos a vida grandiosa quando a esperança vence.

São os que querem mudar o mundo, a começar pelo seu próprio e sem medir esforços em fazer o que for necessário para isso.

Um inquieto faz suas próprias regras. Não há felicidade se for preciso viver sua vida de acordo com as expectativas alheias e por isso, a consciência de si é importante para que ele assuma a responsabilidade de suas escolhas.

Se você...

 

Sente que algo não está no lugar certo em sua vida.

Percebe que as coisas não fazem tanto sentido quanto faziam antes.

Está insatisfeito com a sua forma de perceber a vida.

Começa a questionar as regras e formatos impostos.

Sabe que no fundo do fundo possui desejos que são não convencionais.

Parabéns! Você é um inquieto!

 

Esta é uma verdade e você não pode se esquecer disso!

Por isso, não perca tempo querendo controlar as coisas que estão ao redor de você. Não espere do mundo algo que somente você poderá fazer por você. Deixe de viver para ter o reconhecimento e aprovação das pessoas. Escolha fazer algo ao invés de nada fazer, mesmo com insegurança e com medos, siga em frente e acredite nos seus sentimentos em relação à forma como você se sente em determinadas situações.

A maioria das pessoas, as medianas, geralmente não questionam a forma de viver e passam a cumprir responsabilidades que provem de uma moralidade social e expectativas externas. E tudo bem, se isso não incomodar. Mas se esta vida não for suficiente, você deve assumir a responsabilidade de você e suas escolhas e fazer o que precisa ser feito, mesmo que para isso, precise romper com esta imagem que lhe foi depositada.

A maioria das pessoas só começa a pensar em ter uma vida com mais sentido em um determinado momento da vida. “Quando me aposentar irei fazer tudo aquilo que não consegui” “No dia que tiver tempo, olho para mim”, e cada um possui um tempo, por isso, se você ainda não estiver no momento de questionar seu status quo, olhe com verdade para a sua vida e pense se ela é o que você espera dela. Você realmente vive a paz e felicidade interna?

A vida é curta demais para passarmos boa parte dela vivendo sem sentido e sem presença.

O objetivo de todos os cursos, workshops, programas e experiências que você encontrará nesta página é transformar o seu modo de ver a si mesmo e o mundo à sua volta, para que você construa uma harmonia entre todas as áreas de sua vida e tenha plenitude.

A vida é curta!!